pianco in foco

Em Piancó, professores amargam o fel da atual gestão

De acordo com as informações da professora e presidenta do Sindicato Alcicleide Lacerda, após longos dez meses de espera aconteceu no último 13/11 uma assembleia com os professores da rede municipal, tendo o Sindicato como representante da classe e a gestão municipal representada pelo advogado Antonio Remigio da Silva Junior, registrando assim a ausência do prefeito e da secretária de educação (neste evento).

 Na pauta da citada assembleia seria discutido pelo sindicato e a prefeitura o REAJUSTE DO PISO SALARIAL, negado pelo prefeito aos servidores da educação; ainda de acordo com as informações da presidenta esta reunião só foi realizada mediante a força e Requerimento da vereadora Christiane Remigio e o vereador e professor José Geraldo Mororó, sem este requerimento e o apelo do vereador o prefeito e a secretária de educação não triam dado importância a reivindicação da classe.

“Chegou como um trator, atropelando; e grosseiramente se dirigindo aos professores, como se estes não tivessem valor e razão em buscar os seus direitos”. Queixaram-se os presentes, a presidenta e o advogado da entidade em relação ao Assessor Jurídico Remigio JR. Que, além de ter ofendido a todos travou a dissertação da presidenta, anunciando que a prefeitura não tinha recursos para esta reivindicação, pois, os gastos com os professores já estavam passando dos limites, disse.

Em defesa da categoria o advogado Damião Guimarães disse que a lei deveria ser cumprida e que a gestão buscasse meios para se fazer cumprir o reajuste do piso salarial – direito dos professores.

Outro fato que chamou atenção dos professores na referida assembleia foi o aparecimento subitamente fantasmagórico da mãe do prefeito acompanhada pelos vereadores da situação, que mais pareciam um pelotão de guerra armado para o embate; fato este que despertou nos presentes, questionar a interferência da mesma na conturbada reunião, pois, pelo que se conta e se sabem, a intrusa não tem nenhuma legitimidade para interferir, negar e resolver essa e outras questões na educação do município.

Lamentando o direito negada e corrompido, os professores do Município na vós da presidenta Alcicleide Lacerda apela para as autoridades competentes e mostram a origem do suposto desequilíbrio financeiro, provindo principalmente dos 65 cargos comissionados e, das altas gratificações pagas a privilegiados servidores efetivos, declarou a presidenta.

 

Author: ZECA ALVES

Share This Post On

O que se passa no vale?

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*